A importância do autoperdão – Daniela Silvares

1
480

Oi queridas!

Chegou o dia de receber as belas palavras de Daniela Silvares.

Bela reflexão para nos ajudar a ser mais leve e feliz!

Espero que gostem!

Beijos

Dani Buiochi

A importância do autoperdão

Oi mulheres, tudo bem? Voltei para abordar um assunto que gera um impacto imenso na nossa vida: o autoperdão, ou a falta dele.

Todas nós sabemos que perdoar pode ser algo bastante difícil, mas você concorda que o autoperdão pode ser algo ainda mais desafiador? Quanto isso lhe parece fácil? Será que conseguimos perdoar a nós mesmas com facilidade?

Ao longo de nossas vidas, podemos carregar culpas, cobranças e exigências de nós mesmas. Talvez olhemos para nossa história e para nossos erros com pouca amorosidade.Muitas vezes nos arrependemos do que fizemos, acreditamos que poderíamos ter feito algo diferente, ou até mesmo daquilo que deixamos de fazer. Cobramos uma perfeição e não toleramos nossos próprios erros. Isso faz sentido para você?

Será que conseguimos olhar para nosso passado e nos alegrar com tudo o que vivemos, da exata forma como aconteceu? Com as escolhas aparentemente erradas, com os desencontros, com as desilusões? Será que conseguimos olhar para nossas experiências e percebermos o quanto elas nos trouxeram bagagem e força? O quanto um erro pode nos ensinar e nos ajudar a sermos pessoas melhores?

Observe como são seus diálogos internos. Quais são as afirmações que você diz a si mesma, quando algo sai diferente da sua expectativa?

– Não sou boa o suficiente;

– Faço tudo errado;

– Não deveria ter agido dessa forma;

– A culpa é minha;

– Se eu tivesse feito dessa forma ou daquela…

Esses são alguns exemplos de falas que mentalmente podemos dizer a nós mesmas. Falas que denotam nossa autocrítica e nossa baixa tolerância com nossas próprias falhas.

Como você lida com seus erros? Como lida com suas imperfeições e limitações?

Meu convite hoje é para que você comece a observar suas vozes internas e as críticas que vem fazendo a si mesma há tanto tempo.

Agora, olhe para algumas das situações das quais você se culpa, ou se cobra tanto. O que essa(s) experiência(s) te ensinou? O que você aprendeu a partir dessa dor/dificuldade? O que sua história diz sobre você?

Desejo que você possa refletir sobre isso, e que sinta aí, no seu coração, se você já se perdoou por ser quem é. Se já é capaz de se olhar com o carinho e o cuidado que você merece. Experimente!

Um beijo, cheio de amor.

Dani

 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here